EM DIA MUNDIAL DA POESIA: A POESIA, MÚSICA, VIDA E OBRA LITERÁRIA DE BOB DYLAN – PRÉMIO NOBEL DA LITERATURA, 2016

“Nascido Robert Allen Zimmerman em 24 de maio de 1941, em Duluth, Minnesota, nos Estados Unidos, Bob Dylan cresceu numa família judaica de classe média em uma cidade mineradora. Na adolescência, tocou em diversas bandas, dedicando-se à tradição da música americana, especialmente ao folk e ao blues. Um de seus ídolos era o Woody Guthrie, um dos maiores nomes do folk.”

Mais tarde, Dylan largou a faculdade e mudou-se para Nova York onde se tornou famoso no início dos anos 1960. Lá, passou a tocar em casas de espectáculos e cafés no famoso bairro Greewich Village. O seu primeiro disco, “Bob Dylan”, é de 1962. Entre trabalhos de inéditas, coletâneas e registros de espetáculos, foram registados oficialmente 69 álbuns (em lista abaixo). O mais recente é “Fallen angles”, de 2016, no qual interpreta clássicos americanos tornados populares por Frank Sinatra. Foi somente no seu segundo disco, “The freewheelin’ Bob Bylan”, de 1963, que Dylan revelou o seu talento como compositor – o álbum de estreia tinha somente duas canções originais. “The freewheelin’” tem a faixa que talvez seja o maior clássico de Dylan, “Blowin’ in the wind”. Outros trabalhos marcantes foram “The times they are a-changin’”, de 1964, “Bringing It all back home”, de 1965, “Highway 61 revisited”, também de 1965, e “Blonde on Blonde”, de 1966, todos lançados em sequência. “Blood on the tracks”, de 1975, é outro dos destaques daquelas primeiras décadas. Na turné mundial de 1966, Bob Dylan deixou os seus fãs perplexos e causou polémica ao “trair o folk”, trocando a viola clássica pela guitarra elétrica. Chegou a ser chamado de “Judas” por esse motivo. O material do período vai ser lançado em 36 discos na coletânea “Boby Dylan: The 1966 live recordings”, prevista para novembro. Da fase mais posterior, o perfil da Academia Sueca citou como “obras-primas” os discos ““Oh mercy”, de 1989, “Time out of mind”, de 1997, e “Modern times”, de 2006. Dez vezes vencedor do Grammy, Bob Dylan já se reinventou por diversas vezes, assumindo as identidades de desafiador do Pop, estrela do rock, poeta sábio e cristão missionário – ele converteu-se ao cristianismo em 1979. Em 2004, Bob Dylan foi eleito pela revista americana “Rolling Stone” o segundo melhor artista de todos os tempos, atrás apenas dos Beatles.

O cantor e compositor americano Bob Dylan, de 75 anos, foi anunciado nesta quinta-feira (13) o ganhador do Prêmio Nobel de Literatura 2016. A escolha foi divulgada em um evento em Estocolmo, na Suécia. Além do título, Dylan, que é considerado um dos maiores nomes da música do século XX, recebendo pelo prémio 8 milhões de coroas suecas.

A opção por um músico – e não por um escritor de ofício – soa incomum, mas o nome do Dylan vinha sendo cotado havia muitos anos. Também poeta e com diversos livros lançados (veja lista abaixo), o artista é aclamado sobretudo pelo lirismo de suas letras. Desta vez, no entanto, ele não estava entre os favoritos nas casas de apostas.

Reconhecendo que o Nobel de literatura de 2016 pode parecer surpreendente, a secretária-geral da Academia Sueca, Sara Danius, declarou que Dylan foi escolhido “por criar novas expressões poéticas dentro da grande tradição da música americana”. 

A academia citou ainda que “Dylan tem o status de um ícone” e que “sua influência na música contemporânea é profunda”. “Ele é provavelmente o maior poeta vivo”, declarou Per Wastberg, membro da instituição.

A nota biográfica do prêmio afirma que “Dylan gravou um grande número de álbuns que giram em torno de temas como a condição humana, religião, política e amor”. Dentre os clássicos compostos por ele, estão “Blowin’ in the wind”, “Subterranean homesick blues”, “Mr. tambourine man” e “Like a rolling stone“.

Carreira literária
Tanto na música como na literatura, Bob Dylan foi fortemente influenciado pela geração beatnik e pelos poetas modernos americanos. “Como artista, foi altamente versátil e trabalhou como pintor, ator e autor de roteiros”, lembrou o comunicado da Academia Sueca.

Ao ganhar no Nobel, ele superou grandes autores que eram tidos como favoritos da vez, como o queniano Ngũgĩ wa Thiong’o, o japonês Haruki Murakami e o poeta sírio Adonis. Dylan é o primeiro americano a vencer o Nobel de literatura desde Toni Morrison, em 1993.

Lista de livros de Bob Dylan:
“Bob Dylan song book” (1965)
“Bob Dylan himself: His words, his music” (1965)
“Bob Dylan: A collection” (1966)
“Bob Dylan: The Original” (1968)
“Tarântula” (1971)
“Poem to Joanie” – com introdução de A. J. Weberman (1971)
“Writings and Drawings” (1973)
“The songs of Bob Dylan: From 1966 through 1975” (1976)
“Lyrics, 1962-1985” (1985)
“Bob Dylan anthology” (1990)
“Drawn blank” (1994)
“Lyrics, 1962-1996” (1997)
“Lyrics, 1962-1999” (1999)
“O homem deu nome a todos os bichos” – ilustrado por Scott Menchin (1999)
“The definitive Bob Dylan songbook” (2001)
“Lyrics, 1962-2001” (2004)
“Crônicas – Vol.1” (2004)
“Bob Dylan: The drawn blank series” – editado por Ingrid Mössinger e Kerstin Drechsel (2007)
“Hollywood foto-rhetoric: The lost manuscript” – com fotografias de Barry Feinstein (2008)
“Lyrics” – editado por Heinrich Detering (2008)
“Forever young” – ilustrado por Paul Rogers (2008)
“Bob Dylan: The Brazil series” (2010)
“O homem deu nome a todos os bichos” – ilustrado por Jim Arnosky (2010)
“Blowin’ in the wind” – ilustrado por Jon J. Muth (2011)
“Bob Dylan: The asia series” (2011)
“Revisionist art” (2012)
“Bob Dylan: Face value – com textos de John Elderfield (2013)
“If dogs run free – ilustrado por Scott Campbell (2013)
“The lyrics : Since 1962”- editado por Christopher Ricks, Lisa Nemrow e Julie Nemrow (2014)
“If not for you” – ilustrado por David Walker (2016)

Lista de discos de Bob Dylan:
“Bob Dylan” (1962)
“The freewheelin’ Bob Dylan” (1963)
“The times they are a-changin’” (1964)
“Another side of Bob Dylan” (1964)
“Bringing It all back home” (1965)
“Highway 61 revisited” (1965)
“Blonde on Blonde” (1966)
“Bob Dylan’s greatest hits” (1967)
“John Wesley harding” (1968)
“Nashville skyline” (1969)
“Self portrait” (1970)
“New morning” (1970)
“Bob Dylan’s greatest hits Vol. 2” (1971)
“Pat Garrett & Billy The Kid” (1973)
“Dylan” (1973)
“Planet waves” (1974)
“Before the flood” (1974)
“Blood on the tracks” (1975)
“The basement tapes” (1975)
“Desire” (1976)
“Hard rain” (1976)
“Street legal” (1978)
“Bob Dylan at Budokan” (1978)
“Slow train coming” (1979)
“Saved” (1980)
“Shot of love” (1981)
“Infidels” (1983)
“Real live” (1984)
“Empire burlesque” (1985)
“Biograph” (1985)
“Knocked out loaded” (1986)
“Down in the groove” (1988)
“Dylan & The Dead” (1989)
“Oh mercy” (1989)
“Under the red sky” (1990)
“The bootleg series vols. 1-3: Rare and unreleased 1961-1991” (1991)
“Good as I been to you” (1992)
“World gone wrong” (1993)
“Bob Dylan’s greatest hits vol. 3” (1994)
“MTV Unplugged” (1995)
“The best of Bob Dylan” (1997)
“The songs of Jimmie Rodgers: A tribute” (1997)
“Time out of mind” (1997)
“The bootleg series, vol. 4: Bob Dylan live 1966: The ’Royal Albert Hall’ concert” (1998)
“The essential Bob Dylan” (2000)
”Love And Theft” (2001)
“The bootleg series, vol. 5: Live 1975: The Rolling Thunder Revue” (2002)
“Masked and anonymous: The soundtrack” (2003)
“Gotta serve somebody: The gospel songs of Bob Dylan” (2003)
“The bootleg series, vol. 6: Live 1964: Concert at Philharmonic Hall” (2004)
“The bootleg series, vol. 7: No direction home: The soundtrack” (2005)
“Live at the Gaslight 1962” (2005)
“Live at Carnegie Hall 1963” (2005)
“Modern times” (2006)
“The traveling Wilburys collection” (2007)
“The bootleg series, vol. 8: Tell tale signs: Rare and unreleased, 1989-2006” (2008)
“Together through life” (2009)
“Christmas in the heart” (2009)
“The original mono recordings” (2010)
“The bootleg series, vol. 9: The witmark demos: 1962-1964” (2010)
“Good rockin’ tonight: The legacy of sun” (2011)
“Timeless” (2011)
“Tempest” (2012)
“The lost notebooks of Hank Williams” (2011)
“The bootleg series, vol. 10: Another self portrait (2013)
“The bootleg series, vol. 11: The basement tapes complete” (2014)
“The bootleg Series, vol. 12: The cutting edge 1965-1966” (2015)
“Shadows in the night” (2015)
“Fallen angels” (2016)

Fonte do texto (adaptado): http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2016/10/bob-dylan-ganha-o-premio-nobel-de-literatura-2016.html